Endodontia

O que é endodontia?

Endo significa “dentro/interno”, e dontia é “dente”. Portanto, a endodontia visa tratar o dente internamente, curando lesões e doenças da polpa (o nervo) e da raiz do dente. Em suma, é o famoso e mais popularmente conhecido tratamento de canal.
Todos os dentistas são aptos a tratar uma dor de dente e um canal, porém é o endodontista que conhece mais profundamente sobre diversas técnicas e casos, apresentando um domínio e um conhecimento mais profundo, além de mais destreza e experiência sobre o assunto. Por estes motivos, alguns dentistas preferem encaminhar alguns casos mais específicos para um colega especialista.

Quando usar?

Quando há cáries profundas e quando o dente sofre algum trauma ou fratura mais grave, lesionando, necrosando ou inflamando de maneira irreversível a polpa dentária (o nervo).
Os sintomas (sensações) indicativos de tratamento de canal são dor espontânea, sensibilidade prolongada ao frio e/ou ao calor e incômodo ao toque e na mastigação.
Já os sinais (o que se enxerga) que mostram a necessidade de uma endodontia são presença de abcesso ou fístula (lesão em forma de bolha na gengiva por onde extravasa pus).

Qual a importância do tratamento?

A endodontia, além de eliminar os sinais e sintomas citados anteriormente e tratar patologias ligadas à polpa, salva e mantém o dente em boca, esquivando futuros custos com implantes. Também evita complicações e em conjunto com a posterior reconstrução, devolve ao dente sua função mastigatória.

Como é feito?

O tratamento no endodontista é feito em várias etapas e, na maioria das vezes, são necessárias mais de uma visita ao endodontista, dependendo do caso.
O primeiro passo é remover a polpa. Para tanto, é tomada anestesia local. Com a broca, é feita uma abertura na coroa do dente para acessar o tecido pulpar e com um instrumental específico, o remover.
O espaço onde a polpa se encontrava e os canais que ficam nas raízes são esvaziados, alargados, irrigados e desinfeccionados para seu preenchimento com material obturador específico ou curativos.
Uma restauração temporária e provisória é feita para selar o que foi acrescentado, também com o objetivo de proteger o dente no intervalo entre as consultas.
Na visita seguinte ou quando o tratamento endodôntico estiver finalizando, a restauração provisória é removida e a cavidade pulpar e os canais são preenchidos permanentemente, e aí uma restauração definitiva é realizada, de modo a readquirir a aparência natural do dente.

E o que acontece se eu não fizer?

A falta do tratamento endodôntico resulta em infecção, além de inchaço, febre, dor e levam na maioria das vezes, à extração daquele elemento.
Existe o mito de que “tratamento de canal dói demais!”. Com a tecnologia disponível hoje (instrumentos rotatórios e localizadores apicais eletrônicos) o tratamento endodôntico se tornou muito mais confortável e rápido.
Somente um especialista pode realizar um tratamento endodôntico adequado obedecendo todos os critérios que ela exige.